Chapadão do Sul/MS

INTERNAUTA: Segurança pública sucateada no Estado (Paulo Lupato)

MATéRIA PUBLICADA PELO CAMPOGRANDENEWS:

A PM tem atualmente 1º500 viaturas, 20%, ou 300, paradas para a manutenção. Uma alternativa seria a locação de carro, vetada pelo governo do Estado. Com a locação, advoga policiais, a empresa seria obrigada a substituir os carros estragados em até 20 horas. ?é uma proposta maravilhosa?, avalia o presidente da Associação. No interior, um exemplo da situação crítica é em Coxim, cujo batalhão é responsável também pelo policiamento de Sonora e São Gabriel do Oeste. São quatro viaturas, fabricadas em 2008.

Agora, elas passaram a apresentar problemas mais graves: duas estão com motor fundido, mas, uma ainda roda. ?A gente faz o atendimento dentro do possível?, afirma um policial que preferiu não se identificar para evitar retaliações. Efetivo ? Enquanto em 201ºhavia cerca de 6,1ºmil policiais militares em Mato Grosso do Sul, atualmente são 600 a menos. A média de pedidos para reserva é de cinco por dia, sendo um por tempo de serviço. Os demais saem em busca de emprego melhor.

?O policial vai ficando desacochado?, diz Edmar Soares. Ele acrescenta que o efetivo fica comprometido não só pelas saídas de policiais, mas também devido aos afastamentos. ?O policial tem tido problemas psicológicos. Ele reclama do salário, das condições de trabalho?. Coxim, também é um exemplo da falta de pessoal para trabalhar.

?Há quatro anos não entra ninguém aqui. Já saíram 60?, diz outro militar que também preferiu não se identificar. Enquanto falta gente para trabalhar diretamente em prol da população, Dionathan Celestrino tem diariamente quatro policiais só para ele. Apreendido após matar três pessoas em outubro de 2008, em Rio Brilhante, ele ficou três anos internado legalmente e, desde 201º, protagoniza um impasse:

A Justiça determinou internação psiquiátrica, o Estado procura local adequado e, desde 3 e maio, o Maníaco da Cruz está na Santa Casa, em um quarto só para ele, com escolta, que já seria uma guarnição a mais nas ruas. Fardas e armas ? ?Se o policial está bem fardado é porque está comprando com dinheiro do próprio bolso?, resume o presidente da Associação de Cabos e Soldados.

Segundo Edmar Soares, o governo não dá o uniforme ?há mais de três anos?, sendo que, de acordo com ele, ?por lei deveriam ser entregue fardas duas vezes por ano?. Sobre as armas e munições, Edmar declara que há policiais que, cansados de esperar a burocracia, tiram dinheiro do próprio bolso para comprar os equipamentos de trabalho. Prédios ? De acordo com Edmar Soares, ?tem prédio caindo, que é um lixo?, resume as condições de vários imóveis onde funcionam unidades da PM no Estado. ?Isso é uma obrigação da Sejusp, mas, eu mesmo [sindicato] já reformei alojamento inteiro, com dinheiro do associado?.

O sindicalista cita como exemplos de prédios que precisam de reformas o do 1º Batalhão, na Vila Sobrinho, o posto de Anhanduí e o de Jardim. No interior, mais uma vez o exemplo vem de Coxim: lá, os policiais podem ficar ?sem endereço? a qualquer momento. é que o imóvel foi leiloado e para os donos tomarem posse, só falta a ordem judicial de despejo. A unidade funcionava em outro local, nas proximidades do rio, quando, há 20 anos, houve uma enchente e ?levou? o imóvel. Desde então, a sede do 5? Batalhão da PM está no prédio da antiga Santa Casa.

Como o hospital tinha cerca de R$ 1ºmilhão em dívidas ? trabalhistas e fiscais -, o imóvel foi a leilão. Agora, os policiais podem ser despejados a qualquer momento. No entanto, não têm para onde ir. A Prefeitura de Coxim já doou uma área para construção, o projeto já existe no papel. Nenhum tijolo foi erguido. Providencias sr. Governador! Como combater a criminalidade em nosso estado, oferecendo estas condições precárias aos policiais?

Paulo Lupato

[email protected]

Facebook
Twitter
WhatsApp

Leia Também