Chapadão do Sul/MS

EMOÇÃO marcou a abertura do Agosto lilás em Chapadão do Sul. cerca de 27 mulheres foram assassinadas em MS no primeiro semestre de 2022

        O lançamento do Agosto Lilás de enfrentamento e combate à violência contra a mulher foi marcado  por muita emoção na Câmara de Vereadores na noite de ontem. Além da palestra de Clau Silva (Pamonha da Vó Ciça) cuja história de vida levou muitas pessoas às lágrimas, foram entregues comendas do “Selo Social Prefeitura Amigo da Mulher” à autoridades e pessoas engajadas na aplicação de políticas públicas da causa. O evento foi prestigiado por autoridades dos Três Poderes, civis e militares.

Sobre o assunto a secretária de Assistência Social, Maria das Dores Zokal Krug, disse que Chapadão do Sul é o “carro chefe” de MS na aplicação de políticas públicas de proteção às mulheres com a criação ações que ampliam a rede assistencial. Segundo ela o MS registrou 27 feminicídios somente no primeiro semestre deste ano. A formatação das políticas é gradativo e perene como o “Maria da Penha Vai à Escola” na cidade e no interior,  o projeto Paralelas com reconhecimento em outras cidades e o Proincsul.

O Proincsul começou a ganhar forma em Chapadão do Sul quando Marias das Dores e o prefeito João Carlos caminhavam pela Avenida Trinta e Três. Presenciaram uma mulher sendo esfaqueada pelo companheiro. Destacou que muitas ficam na relação pela dependência financeira e se submetem à opressão. O Proincsul contrata a mulher vítima de violência que é obrigada a estudar, recebe remuneração e o desenvolvimento cultural de preparação para o mercado de trabalho. Quando ela começa a trabalhar é desligada do programa, mas ganha ferramentas para se se livrar do ciclo vicioso de violência. Cerca de 50 mulheres são contempladas atualmente.

Já a promotora Fernanda Proença de Azambuja destacou que o momento é de construção de políticas públicas, conhecimento dos atores que atuam na área e na busca de um caminho de formatação do cenário ideal de proteção às mulheres. A juíza da 2ª Vara, Bruna Tafarello,  também enfatizou a situação cultural que coloca a mulher inferiorizada. Para ela o combate começa com políticas públicas eficazes, não apenas com a judicialização.  “As mulheres estão confiando mais nas instituições e buscando ajuda”, comparou a magistrada.

O prefeito João Carlos Kruge  projetou o aumento de mulheres atendidas no Proincsul, embora o cenário ideal seria nenhuma sendo vítima de violência. A atual gestão é marcada por várias mulheres em cargos de primeiro escalão. Lembrou que a sociedade não deve ser omissa nesta questão e sempre acionar as autoridades na busca de uma sociedade melhor. Representando o Poder Legislativo o vereador Vanderson Cardoso lembrou que as políticas públicas  é uma possibilidade de recuperação da auto estima das mulheres vítimas de violência.  O Maria da Penha Vai à escola é de autoria do parlamentar.

A mesa de autoridades foi composta por

Maria das Dores Zocal Krug (secretária de Assistência Social), João Carlos Krug (Prefeito),  Bruna Tafarello (Juiza da 2ª Vara de Justiça de Chapadão do Sul),  Vanderson Cardos (1º Secretário da Câmara de Vereadores),  Promotora Fernanda Proença de Azambuja,  Psicóloga Gabriela Machado (Coordenadora Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres),  Delegada de Polícia Civil Bianca Carneiro Martins,  Salvador Divino de Araújo (Presidente da 27ª subseção da OAB)

RECEBERAM Selo Social Prefeitura Amigo da Mulher

 Maria das Dores Social Krug

 Fernanda Proença de Azambuja

João Carlos Krug

Fernanda Silva Freitas  

Gisela Aparecida Pereira

Diva Maria de Souza

Lidiane Coutinho da Silva

 Cássia Adriane Sanches Garcia  

Gabriela Machado  

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também