Chapadão do Sul/MS

CORONAVAC: O que acontece com aqueles que perdem o prazo da segunda dose em Chapadão do Sul? Especialistas advertem sobre perda da eficácia

Pessoas distraídas ou que – por algum motivo – perderam a segunda dose da vacina Coronav devem ficar preocupadas com a perda da eficácia do imunizante tomado fora do prazo. Segundo o infectologista e professor emérito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Dirceu Greco, o efeito começa a se perder. Mas, se for um tempo curto, não há problema. Ela deve ser tomada o mais rápido possível. A imunidade já foi parcialmente adquirida, então não estará perdida.”

A bula da Coronavac prevê a segunda dose ntre 14 e 28 dias após a primeira.  O infectologista explica que a segunda dose funciona como uma espécie de “empurrão”. “A pessoa está andando devagar, toma um ‘empurrão’ e produz mais anticorpos.” Assim, ela seria um reforço da primeira dose.   

“A imunidade começa com uns 4 a 5 dias depois da primeira dose. A partir daí, ela vai crescendo. Mas chega num percentual que não é satisfatório. Quando a segunda dose é aplicada, chega naquela eficácia que foi comprovada, com mortalidade e doença grave muito baixas. A segunda dose estimula mais rapidamente e intensamente a produção de anticorpos”, complementa

Greco, no entanto, ressalta que a eficácia da vacina contra a COVID-19 vai sofrer uma perda gradual com o tempo.  “Mas não sabemos quando. Não existe nenhum estudo internacional mostrando qual é a perda (de eficácia) após os 28 dias. Quando eles estavam testando para definir qual era o melhor prazo entre uma dose e outra, foram imunizando pessoas com 14 dias, com um pouco mais de tempo. E, chegando a 28 dias, mostra que a resposta imunológica é muito boa.”

Segundo o infectologista, não é possível saber com precisão, mas a perda é gradual e não aguda. “Ela vai diminuindo gradativamente. Pensando imunologicamente, mesmo que ela tenha diminuído e a vacina chegue depois, o reforço, o ‘empurrão’ vai acontecer, já que o sistema está preparado.”

“Vai cair, não sabemos em quanto tempo cai. O que tem que ficar claro é que a eficácia dela, como escrito na bula, é melhor com no máximo 28 dias entre a primeira e a segunda dose, para que a imunização seja alcançada.”

De acordo com ele, mesmo após o prazo de 28 dias é recomendável que as pessoas tomem a segunda dose. Não está dentro do parâmetro, mas está em um prazo razoável para que as pessoas se imunizem e não tenham medo com relação a isso (perda de eficácia)”.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também