Chapadão do Sul/MS

CENÁRIO marcado por muito pó na manhã de hoje relembra Chapadão do Sul de há 30 anos. Na época não havia asfalto e a terra vermelha predominava    

       O cenário das cercanias de Chapadão do Sul – na manhã hoje – relembrou o então Chapadão dos Gaúchos, numa época sem um metro de asfalto nas ruas e muiiiiiiiiiiiito pó. Os pioneiros ainda vivos e seus filhos ainda tem na memória as gigantescas e desanimadoras colunas gigantes de pó que engoliam o povoado. Era o flagelo das donas de casa e suas roupas recém lavadas no varal. As residência ainda de madeira ficavam fechadas para amenizar a situação e manter o recinto minimamente limpo. Cercada por loteamentos de todos ao lados a cidade foi encoberta por muita poeira espalhada pela variação dos ventos. Fotos do perfil Memórias de Chapadão do Sul mostram a mesma terra vermelha antes da pavimentação da Avenida Oito (1990) e outros empreendimentos de uma cidade que começava a  dar os primeiros passos. (Foto principal / arquivo de 2019)

Quem gosta de cinema ou rever filmes antigos na Net Flix já deve ter visto as famosas tempestades de areia no Arizona (EUA), na Austrália ou até mesmo nos cenários usados para filmes como a Múmia. Quem tiver a curiosidade de ir à Avenida Trinta e Três – no  novo loteamento – poderá relembrar como era Chapadão do Sul  há cerca de 30 anos. A cidade também é cercada por grandes propriedades rurais e muito pó em determinadas épocas do ano quando não há plantio, apenas palhada ou terra pronta para a próxima safra.    

Em setembro de 2019 uma foto tirada próximo ao antigo Terminal Rodoviário de Chapadão do Sul viralizou em todo o MS. À época assustou moradores porque precedia uma tempestade com muita ventania. O “poeirão” é um fenômeno climático também chamado de “nuvem de poeira Godzilla” quando ganha dimensão, deu o que  falar na internet, apesar de ser comum nesta época do ano.  

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também