Chapadão do Sul/MS

Caminhoneiro que apreciava programas sexuais com menores acabou assassinado

Uma mulher foi presa e três adolescentes apreendidos acusados pelo assassinato do caminhoneiro Benedito Boze (55) no último dia 30, em Corumbá. Delina Pessoa Ares (1º) e três adolescentes, todos com 1º anos, são acusados de participação no crime. De acordo com a Polícia a mulher é garota de programa e planejou toda a ação. O 5° acusado, Gutemberg Daniel Grillo, de 1º anos, está foragido.

O caminhoneiro foi morto com um tiro na sede de uma ONG (Organização Não Governamental) na rua Ricardo Franco esquina com a 1ºdeg; de Abril. Ele estava nu e foi encontrado por duas jovens. Segundo a Polícia, o crime aconteceu porque o caminhoneiro dizia que tinha dinheiro, que era proprietário de dois caminhões e uma moto nova e recebia muito bem.

De olho no dinheiro da vítima, Delina, que tinha fácil acesso a casa, pois fazia programa para Benedito, facilitou a entrada dos menores na residência, no que resultou em roubo seguido de morte. A mulher será indiciada por latrocínio e pode pegar até 30 anos de prisão em caso de condenação. A vítima, Benedito Boze, estava em regime semiaberto, após cumprir pena por crime sexual contra menores.

O crime – Os menores são acusados de ter torturado e assassinado o caminhoneiro. Eles disseram a Polícia, que a vítima pagou para ver e acabou morrendo. Os três adolescentes surpreenderam Benedito. Ele foi amarrado e levou vários golpes de martelo na cabeça.

O caminhoneiro tentou se defender, mas acabou morto com um tiro. Os três já tinham passagem pela Unei (Unidade Educacional de Internação), por roubo. A moto da vítima foi levada para a Bolívia por Gutemberg, no mesmo dia do crime. Cada integrante do grupo receberia R$ 800 com a venda do veículo. (midiamax)

Facebook
Twitter
WhatsApp

Leia Também