ChapadenseNews
APÓS ACIDENTE com traumatismo craniano família de operário precisa ajuda em Chapadão do Sul. Família com nove pessoas não tem renda

Publicada em 14/11/2017, lida 9165 vezes.

       A rotina do casal Iane Thamires e José Gilson Andrade Santos seguia normal até ele cair da moto na BR-060 quando vinha de uma agropecuária onde trabalha há três anos. O operário sofreu um grave traumatismo craniano que limitou a locomoção, movimentos involuntários e a fala. Está na cama, necessitada de mais de dois fraldões/dia e atenção total da esposa. Ela não pode trabalhar porque assiste o marido e os três filhos pequenos. A rotina da família ficou mais dramática porque a sogra e mais três crianças vieram de Alagoas para ajudar, mas também não possuem renda.  O salário de Gilson é usado para pagar o aluguel (R$ 450,00), comida para nove pessoas e outras despesas como água e luz.

Gilson ficou dois dias na área vermelha da Santa Casa em Campo Grande e 19 na CTI (Centro de Tratamento Intensivo). A esposa permaneceu 47 dias na Capital sem ter condições financeiras para estadias. O operário conseguiu sobreviver, mas está com várias sequelas que poderão levá-lo à aposentadoria precoce.  Fará uma perícia em Campo Grande no dia 30 de novembro para ser encaminhado ao INSS. Gilson trabalha com carteira assinada há três anos numa conceituada agropecuária onde os colegas fizeram uma arrecadação para fazer a compra emergencial de gêneros de primeira necessidade à família, ainda mais numerosa neste momento.  

Segundo Iane Thamires os médicos garantem que ele voltará a falar e adquirir os movimentos aos poucos. Este processo é demorado, doloroso para todos e exige paciência e compreensão.  Neste momento a situação é crítica devido à total falta de recursos numa família humilde cujo provedor ficou - momentaneamente – sem condições físicas para trabalhar.

ITENS NECESSÁRIOS - A família necessidade de fraldão (ele usa mais de três por dia), fralda à criança, alimentos, produtos de limpeza para manter os lençóis limpos e trocado três vezes ao dia e os demais cômodos higienizados, em boas condições de habitação.  AQUELES que eventualmente não vão sentir a falta de de um produto perecível em sua dispensa podem levar à Avenida Planalto 633 ou ligar para  Thamires (998579994) / Psicóloga Katiusce Nogueira (981247961)

Fotos autorizadas e que atendem o Artigo 143 do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) 

APÓS ACIDENTE com traumatismo craniano família de operário precisa ajuda em Chapadão do Sul. Família com nove pessoas não tem renda

Comentários desta notícia
Boa tarde novamente César!Atendendo novamente Dona Yane, esta me referiu que ainda precisa de colchões de solteiro (lençóis), máquina de lavar roupas (devido ao excessivo uso, a dela queimou) e pedra brita, para colocar em frente à casa e facilitar neste tempo de chuva.
Por Katiusce Nogueira, em 16/11/2017.