'PIRATAS VIRTUAIS' compram carro e fazem empréstimo em nome de trabalhador rural de Chapadão do Sul. Dados foram roubados na internet

Publicada em 06/12/2017, lida 406 vezes.

    Além de uma idosa que perdeu  R$ 1 mil no golpe do “carro quebrado na estrada”, um trabalhador teve os documentos clonados  por estelionatários que compraram um carro zero em seu nome. Após procurar informações na ACE (Associação Comercial e Industrial) de Chapadão do Sul ele descobriu que um empréstimo foi feito com seus dados cadastrais (RG e CPF). O município é um dos mias visados por estelionatários virtuais e para a prospecção de dados com fins criminosos.

O drama do trabalhador começou quando recebeu uma ligação do setor de cobrança do Banco Santander informando sobre o atraso da parcela do veiculo financiado. Foi o primeiro susto porque ele não comprou o carro. Ao consultar uma advogada descobriu que seus documentos haviam sido mesmo clonados. Outros problemas poderão vir pela frente porque estes “piratas virtuais” usam os dados das vítimas até serem bloqueados.

ROUBO DE DADOS - Mesmo que não intencional quase todas nossas informações pessoais estão disponíveis na internet. Com isso, cresce a cada dia o número de casos de roubo de identidade na internet. Isso acontece quando alguém usa os dados de outra pessoa para cometer crimes ou fraudes online.

Quando fazemos cadastro em um site de vendas ou serviços, acessamos uma conta de banco através do aplicativo, ou criamos um perfil em uma rede social, nossos dados são solicitados. Quando eles são acessados apenas pela empresa de nossa confiança, nada de ruim acontece, mas isso nem sempre é a regra. 

 

Como ocorre o roubo de identidade na internet 

O roubo de dados na internet é chamado de phishing, pois se trata, literalmente, de “pescar” informações sobre o usuário. Existem diversas maneiras de se fazer phishing. Uma das mais simples é ganhar a confiança de um usuário e obter as informações desejadas diretamente dele através de, por exemplo, um chat.

Outra forma comum de obter dados pessoais é solicitar a informação usando e-mails falsos assinados por instituições confiáveis, como bancos e órgãos públicos. Nesses casos, criminosos podem até desenvolver sites muito semelhantes aos oficiais, confundindo ainda mais o usuário. 

Vírus e malwares podem também infectar sites bem-intencionados, ou mesmo oficiais, e roubar todo o banco de dados ali cadastrado. Depois, em geral, esses bancos de dados são vendidos para outros criminosos. 

'PIRATAS VIRTUAIS' compram carro e fazem empréstimo em nome de trabalhador rural de Chapadão do Sul. Dados foram roubados na internet

Comentários desta notícia